fbpx

Memória Recente…

Memória Recente…

Respeitando os protocolos de segurança, voltamos às competições

Muito bom ver a garotada do Rio de Janeiro competindo. Nosso tênis é forte. Temos muitas famílias, treinadores e jogadores dedicados e isso nos enche de orgulho. Poder ajudar o esporte brasileiro a crescer, nos enche de motivação. 

Nossos torneios tem um formato diferente, com o mínimo de dois jogos para cada jogador. Caso não tenha, joga-se a final da categoria e a inscrição para o próximo evento acontece automaticamente.

No dia 19 de setembro, no Clube Monte Líbano, as categorias 10 anos masculina e feminina entraram em quadra. No total foram 22 jogadores. Um número excelente para nosso primeiro torneio considerando o “novo normal”. 

Pude acompanhar muitas crianças se superando, jogando de igual para igual com atletas mais fortes, virando jogos difíceis, mas saindo do torneio com uma sensação ruim, de derrota, quando tinham perdido seus últimos jogos. 

O ano era 2002, eu tinha pouco tempo de tênis e treinava na equipe do jogador profissional Carlos Kirmayr e do Marco dos Anjo (Tico). Me lembro de perguntar para o Kirma depois de perder um torneio super disputado no terceiro set “por que no último set, a pessoa que ganhava o segundo, levava sempre a vantagem?”. 

Me lembro até hoje da sua resposta: porque a memória recente é que fala mais alto na maioria das vezes.

Nosso objetivo é mostrar para os pais dos competidores, para os jogadores e treinadores o sucesso da sua trajetória em nossos torneios, mesmo com as derrotas. 

Entrar em quadra e competir na frente das família já é um ato de coragem. Sair de situações delicadas na partida também. Dar o seu melhor, mesmo quando o adversário é mais experiente, lidar com a insegurança e todas as outras emoções que surgem quando estamos em quadra – tudo isso vale muito mais do que ganhar ou perder. 

Estamos muito felizes em poder proporcionar aos nossos competidores esse ambiente que promove o desenvolvimento das habilidades comportamentais do ser humano além do tênis. 

Para nós, da Liga Tênis 10, NÃO TEM PREÇO.

Estudos recentes mostram que isso que vai fazer a diferença no mercado de trabalho futuro. 

O competidor que se expôs, deu o seu melhor, saiu de situações difíceis, buscou o jogo e perdeu, mesmo não fazendo game, não pode sair derrotado de nossos torneios e sim motivado a treinar mais. Porque valorizamos o processo de cada jogador. 

Isso que nos move e motiva!!!!!

No mais….

lets go!!!!!!!